Notícias

Filtrar
18 janeiro 2022
Blogue
Desporto e a saúde: atividade física, decisiva para o equilíbrio mental e o bem-estar

Desporto e a saúde: atividade física, decisiva para o equilíbrio mental e o bem-estar

O desporto e a saúde estão intimamente ligados, pois praticar desporto supõe uma melhora na condição física proporcional à quantidade e qualidade do exercício que fazemos. No entanto, diretamente ligado ao estado físico de cada pessoa está o equilíbrio mental, cujos benefícios gerados pela atividade desportiva “não são vistos, não são lembrados”.

Levantar do sofá e começar a exercitar permite acabar com uma prática sedentária que pode degenerar em doenças coronárias ou neurovasculares. Para o novo atleta, este primeiro passo representa uma mudança importante no estilo de vida, uma mudança mental.

Embora o impacto do exercício físico na saúde mental ainda esteja a ser estudado, o desporto atua no sistema nervoso central, estabilizando certas proteínas e prevenindo o aparecimento de doenças causadas pela quebra do equilíbrio dessas substâncias.

Entre as proteínas endógenas geradas pelo exercício físico, destacam-se as endorfinas como neurotransmissores capazes de gerar uma sensação de relaxamento e felicidade.

Portanto, a melhora do equilíbrio mental a partir da atividade física não é uma sensação subjetiva, mas um processo fisiológico objetivo

Benefícios da prática desportiva:

Aumento da autoestima;

Aumenta a autoconfiança;

Melhore a memória;

Maior estabilidade emocional;

Melhor funcionamento intelectual;

Maior independência.

 


 

18 janeiro 2022
Blogue
Como o desporto modifica o nosso cérebro?

Como o desporto modifica o nosso cérebro?

Ainda não há evidências científicas suficientes para explicar o poder do exercício contra a patologia mental. No entanto, já foram encontradas evidências de que o apoio social e o compromisso gerados em torno da atividade física podem explicar em grande parte os efeitos observados nas mudanças de humor. Quanto aos mecanismos específicos envolvidos nesse efeito benéfico, aponta-se a hipótese de que alguns dos principais neurotransmissores (substâncias usadas pelos neurónios para se comunicarem) sejam ativados pela atividade física. Seriam as hormonas chamadas de quarteto da felicidade: serotonina, endorfina, oxitocina e dopamina.

Serotonina

A serotonina é a hormona que nos faz sentir bem, confiantes e positivos. Isso significa que, quando os níveis desta hormona estão em baixo, podemos sentir-nos tristes e, mesmo, deprimidos. A prática desportiva promove a sua libertação, envolvendo a superação de desafios e fortalecendo o sentimento de fazer parte de um grupo com o qual nos identificamos. Não surpreendentemente, pessoas com depressão e ansiedade têm níveis muito baixos desta hormona.

Endorfina

A endorfina funciona no cérebro como se fosse um analgésico. Na verdade, é muitas vezes referida como a morfina natural. É secretada com o exercício, promovendo um estado de relaxamento. A sua liberação é especialmente benéfica contra estados de stress e medo.

Dopamina

É o neurotransmissor do prazer por excelência. É secretada quando algo nos estimula ou nos faz sentir bem. No desporto, ajuda em aspetos como a superação de desafios ou a aprovação de outras pessoas, produzem prazer, o que nos impulsiona a continuar praticando desporto.

Ocitocina

É a hormona responsável por equilibrar os vínculos emocionais e afetivos. Com a prática desportiva, estabelecem-se relações interpessoais que favorecem a segregação dessa hormona.

18 janeiro 2022
Blogue
Cinco conselhos para recuperar a motivação para treinar:

Cinco conselhos para recuperar a motivação para treinar:

1??Traçar metas flexíveis

É normal perder a motivação! Não devemos traçar objetivos pré-definidas e rigorosos. Neste tempo de incertezas, é importante não basear a nossa prática desportiva em competições ou metas. Não sabemos somo seguiram as restrições nem o que acontecerá a curto prazo a nível desportivo, por isso, o melhor é não nos propormos a objetivos difíceis de cumprir nem sermos exigentes para evitar frustrações se, por razões próprias ou externas, não as conseguirmos cumpri-las.

 

2??Refletir sobre o que gostamos no desporto

É importante a autorreflexão e refletir sobre por que somos desmotivados e lembrar o impulso intrínseco que antes nos levava a praticar desporto; de quando tínhamos total liberdade para o fazer. É normal ficarmos desanimados se tudo o que fazia parte da nossa rotina é truncada, abruptamente, com os encerramentos e todas as limitações dos ginásios e instalações desportivas, mas vamos lá relembrar porque gostamos do desporto e procurar soluções.

 

3??Procurar alternativas

Procurar alternativas para praticar desporto em espaços mais reduzidos, privados do ar livre pode até se tornar divertido. O importante é começar. Existem muitas opções para substituir os exercícios no ginásio e outros desportos que se podem continuar a praticar apesar do número de instalações. Pensar também em companhia. Propor, principalmente aos mais próximos, seguir uma nova rotina adaptada a este contexto e sempre cumprindo as regras sanitárias.

 

4??Criar uma rotina

Ter demasiado tempo livre ou não ter um momento específico do dia destinado ao exercício físico pode fazer deixemos para mais tarde, sempre a adiar e acabamos por terminar o dia sem nada fazer! Criar uma rotina que nos ajude a voltar a exercitar é basilar.

 

5??Exercício divertido

A prática desportiva tem que ser prazerosa e deve trazer bem-estar. Adicionar coisas à nossa rotina que nos dê energia e que eleve o espírito. Criar uma playlist para cada tipo de exercício e treinar dependendo do lugar e fazê-lo com muita garra. Seja uma boa playlist ou um local de preferência, o nosso predileto, ambas são ideias que nos podem ajudar a treinar com mais entusiasmo.

Não foram encontradas notícias para a pesquisa efetuada
Não foram encontradas mais notícias para a pesquisa efetuada